Miguel Otávio tinha 5 anos quando caiu de um prédio de luxo em Recife

Da Redação

Imagem: Reprodução TV Globo

Nesta terça-feira (31), Sari Corte Real foi condenada a 8 anos e 6 meses de prisão por abandono de incapaz com resultado morte. No dia 2 junho de 2020, Miguel Otávio de Santana, de  5 anos, morreu após cair do 9º andar do prédio onde a sua mãe era trabalhadora doméstica.

Exatamente 3 dias antes de completar 2 anos da morte da criança, a sentença foi divulgada pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). Em decisão, o juiz José Renato Bizerra, titular da 1ª Vara dos Crimes contra a Criança e o Adolescente da Capital, determina que Sari Corte Real inicie o cumprimento da pena em regime fechado. No entanto, a condenada tem o direito de recorrer em liberdade.

Em entrevista ao Portal Marco Zero, Mirtes Renata diz que “essa sentença é uma parte da nossa vitória. Mas só vou estar satisfeita quando ela estiver atrás das grades”.

A decisão acata o pedido protocolado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), em dezembro de 2021, reconhecendo que Sari Corte Real negligenciou os cuidados de Miguel Otávio tendo como consequência o falecimento da criança.

Relembre o caso

Miguel Otávio morreu em 2 de junho de 2020 ao cair do 9º andar do Condomínio Píer Maurício de Nassau, um condomínio de luxo, no Centro do Recife, em Pernambuco. A mãe de Miguel, Mirtes Santana, trabalhava como empregada doméstica na casa de Sari Corte Real, quando precisou passear com o cachorro da casa e deixou a criança aos cuidados da patroa.

Durante a audiência de instrução, em setembro de 2021, a denunciada por abandono de incapaz, tentou culpabilizar a criança, de acordo com informações de Rodrigo Almendra, advogado de Mirtes Renata. Sari alegou que tentou conversar com Miguel para que saísse do elevador, e que teria deixado o menino sozinho para voltar ao apartamento e cuidar da filha.