Por Andressa Franco

Imagem: Felipe Iruatã

Chega ao fim nesta sexta-feira (03) o prazo para colaborar com a primeira meta da campanha de financiamento coletivo da Sociedade Protetora dos Desvalidos (SPD), para produzir um filme documentário sobre a entidade. O filme será produzido pela PORTFOLIUM e dirigido por Antonio Olavo, cineasta que trabalha com temas fortalecedores da memória negra e já dirigiu sete longas-metragens.

O longa tem o objetivo de celebrar os 190 anos que a SPD completa em 2022, sendo a mais antiga associação civil negra do Brasil. Entidade dedicada à ajuda mútua, foi fundada em 1832, em pleno regime escravocrata, por um grupo de homens negros moradores em Salvador. O grupo se dedicava a angariar recursos financeiros e auxiliando muitas famílias negras em situações de extrema fragilidade sob o regime escravocrata. O documentário pretende contar as histórias vividas pela entidade no decorrer desses quase dois séculos de existência.

Hoje, a instituição segue a busca por garantia de direitos e justiça social. Voltando sua atenção para as comunidades quilombolas, mulheres e juventude negra da periferia. De acordo a associada da SPD, Lígia Margarida, de 68 anos, a estratégia seguida pela entidade é a realização de diversas ações, para manter o que foi desenvolvido por aqueles que construíram a instituição: autonomia, manutenção, criação de uma base econômica.

A meta total estabelecida envolve custos de produção da campanha, das recompensas que serão enviadas para os apoiadores (camisas, ecobag, squeeze, pochete, cadernos, canecas, imãs), bem como a produção do Filme Documentário com suas etapas de Pré-Produção, Produção e Pós-Produção. Além das taxas da Plataforma.

A Meta 1 da campanha pretende arrecadar R$ 300 mil. Em seguida, a SPD visa atingir a Meta 2 (R$ 350 mil) e a Meta 3 (R$ 390 mil). Para contribuir, basta clicar aqui.