O espetáculo estreado em 2015 e assistido por cerca de cinco mil espectadores volta a cartaz num hibridismo de teatro e animação 2D

Texto e Imagem: Divulgação

O Coletivo4 estreia o musical João do Pé de Feijão, uma releitura do clássico infantil de Joseph Jacobs, em temporada online, através do YouTube do Coletivo, a partir das 14h do dia 19 a 27 de agosto. O espetáculo, primeiro musical criado pelo grupo em 2015, retorna em novo formato: um musical híbrido que mescla teatro e animação motion (2D). A montagem, que tem direção musical de Alex Mesquita, traz reflexões acerca dos sonhos e das dificuldades encontradas para alcançá-los. 

Nesta nova versão com narração de Linda Paquelet, atriz com 09 anos de idade, os espectadores assistirão a um destemido e sonhador João, que vive uma realidade muito comum às famílias brasileiras. Quando, a pedido de sua mãe, vai ao mercado para vender a única e velha vaca que possuem, encontra feijões mágicos e a partir daí ele parte em busca de um mundo desconhecido sem medo de enfrentar os percalços que aparecem no caminho. 

Na dramaturgia novos personagens aparecem na trama, o pé de feijão ganha voz e até mesmo o dissimulado gigante ganha uma nova atualização que traz à tona debates sociais importantes. No espetáculo, as crianças têm a oportunidade de rever e ressignificar a história do João do pé de feijão, em princípio já conhecida de todos; de fantasiar sobre pessoas muito parecidas com elas e com suas mães, pais e/ou responsáveis. 

Na animação, novas imagens e perspectivas são criadas dos atores e atrizes que cantam músicas originais presentes em toda a peça. Esse formato animado 2D já é bem conhecido pelas crianças. O grupo surpreendido pela pandemia resolveu desbravar novos horizontes e recontar e cantar a história da tradicional fábula infantil além de trazer à tona muitas memórias do próprio Coletivo e de como esse espetáculo reuniu todos esses artistas. 

Com direção geral de Fernanda Paquelet, direção musical e trilha sonora original de Alex Mesquita e ilustração, animação e montagem final por Don Guto, João do Pé de Feijão traz em sua musicalidade a característica do personagem principal sobre o mundo, com referência principal na música brasileira, que se conecta com referências internacionais como o blues, a música pop, tecno e rock. 

 “É balizando essas tensões que são pertinentes à nossa cultura, que a narrativa, permeada por esse olhar cria esse caráter e ponto de partida brasileiro, que está no nosso imaginário. Com todas as letras musicadas, no português brasileiro, é assim que reafirmamos a história de João, uma história muito parecida com as nossas.”, afirma Alex Mesquita. 

O espetáculo tem no elenco Jarbas Oliver, Diogo Lopes Filho, Alexandre Moreira, Carlos Eduardo Santos, Fernanda Paquelet , Marília Castro, Igor Epifânio, Roberto Montenegro e Luiz Pepeu. Diante da pandemia do Covid-19  o elenco se reuniu virtualmente para treinar e estudar as possíveis sonoridades para o espetáculo, acompanhado pelo maestro Ângelo Rafael e pelo técnico de gravação Vanderson Baobá, posteriormente indo individualmente ao estúdio Sobrasa, em um horário determinado para gravar as suas falas, para a montagem do espetáculo. 

“Quando comecei o trabalho de adaptação do texto para a animação ficou evidente a necessidade de um narrador, e foi uma boa oportunidade de nos aproximarmos ainda mais do público infantil, trazendo uma criança para ser esta narradora. Fiz um teste em casa com minha filha Linda Paquelet Viana e deu muito certo”, conta Fernanda Paquelet.

Quando a sua participação em João do Pé de Feijão, Linda Paquelet fala que foi uma experiência bem diferente das que já vivenciou e a fez se sentir uma profissional. “Eu já tinha feito espetáculos menores, mas fazer a narração do musical me inseriu e fez ter uma nova relação com o teatro. E me senti à vontade, feliz e foi bem animado o processo”, explica a atriz infantil. 

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.