Por Patrícia Rosa

Imagem:  Reprodução/ CMRJ

O Diário Oficial da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro publicou na manhã desta sexta-feira (19), a cassação do vereador e ex-policial Gabriel Monteiro(PL-RJ, por quebra de decoro parlamentar. A decisão foi tomana numa sessão, na noite da última quinta-feira(18), com  48 votos a favor e 2 contrários. O agora ex-vereador, é  acusado de estupro, assédio moral, sexual, filmar e divulgar cenas de sexo com uma adolescente e por manipulação de vídeos. 

Os votos contra à cassação foram do vereador Chagas Bola (União Brasil – RJ) e do próprio Gabriel Monteiro. Apesar da perda do mandato, o ex-parlamentar ainda poderá concorrer  para Deputado Federal, nas eleições 2022, pois a cassação aconteceu após o prazo para registro de candidatura, e ele ainda é considerado ficha limpa.

No seu pronunciamento, o relator do processo, Chico Alencar (PSOL-RJ), reforçou o dever dos vereadores e vereadoras, em dar uma resposta ao caso.“A omissão, a negação do projeto de resolução e de perda de mandato vai ficar marcada na história.”

Em sua defesa, Gabriel Monteiro negou as acusações. O acusado pediu desculpas aos vereadores que se sentiram ofendidos e reagiu ao pedido de cassação. “Tirar o meu mandato, senhores, é decretar para minha honra, moral, a minha morte.”

Em um áudio  obtido pela Globo News, divulgado na última quarta-feira(17), Gabriel confirma ter relações com menores de idade: “Pô, 16, 17 aninhos. Porque eu gosto muito de novinha”, afirma o vereador no áudio.Gabriel Monteiro é o segundo vereador que teve o mandato cassado, no Rio de Janeiro. O primeiro foi Jairinho, preso pela suspeita de matar o enteado,  Henry Borel, de 4 anos.