IBGE divulgará resultados sobre cor ou raça do Censo 2022 na Casa do Olodum, em Salvador (BA)

O evento acontece a partir das 10h da próxima sexta-feira (22) e também será transmitido pelo canal do IBGE no YouTube

O evento acontece a partir das 10h da próxima sexta-feira (22) e também será transmitido pelo canal do IBGE no YouTube

Por Andressa Franco

Imagem: Agencia IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgará os primeiros dados relacionados às características de raça e cor da população e domicílios coletados pelo Censo Demográfico 2022, na sexta-feira (22). O evento acontece a partir das 10h, na Casa do Olodum, no Pelourinho, em Salvador (BA), e também será transmitido ao vivo pelo canal do IBGE no YouTube.

O material que será publicado trata de resultados que são indispensáveis para o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para as especificidades dos grupos populacionais do país, que, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, publicada pelo próprio IBGE em 2022, é composta em 56% por negros.

Na Bahia, onde será feito o lançamento, esse grupo representa 80% da população. Sendo que o número dos autodeclarados pretos subiu mais de 40% entre 2012 e 2022.

No último Censo Demográfico realizado pelo IBGE, em 2010, a Bahia figurou como a Unidade da Federação (UF) com mais pessoas que se autodeclararam pretas: 2,4 milhões, ou 17%. Nesse período, entidades do movimento negro se organizaram através da campanha “Não deixe sua cor passar em branco”, para que as pessoas afrodescendentes confirmassem sua ascendência africana na pesquisa do IBGE.

Os dados que serão apresentados na Casa do Olodum também detalham as informações segundo cor ou raça por grandes regiões, estados, municípios, além da Amazônia Legal como nível geográfico. Os números poderão ser visualizados em mapas interativos por meio da Plataforma Geográfica Interativa (PGI).

“A divulgação dos dados de raça e cor do Censo 2022 em Salvador, tem uma importância grande por conta de sermos a cidade mais negra fora do continente africano e porque é exatamente a partir de informações sólidas que as políticas públicas são embasadas”, ressaltou Ângela Guimarães, secretária de Promoção da Igualdade Racial e dos Povos e Comunidades Tradicionais da Bahia, em nota oficial.

A divulgação conta com parceiros do IBGE, como representantes do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e de ministério, como o da Igualdade Racial, do Planejamento e dos Povos Indígenas, além do apoio do Governo do Estado da Bahia e do Olodum.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *