Atleta brasileiro que atua em clube da Alemanha sofreu racismo de torcedora espanhola durante a Eurocup

Por Daiane Oliveira

Imagem: Reprodução

Jovem, negro, atleta profissional, Yago Mateus aos 23 anos defendia o Ratiopharm Ulm, da Alemanha, em partida válida pela EuroCup realizada na última terça-feira (7), quando foi ofendido por uma torcedora do Club Joventut Badalona, na Espanha. Imagens mostram a mulher gritando repetidas vezes na direção do atleta a palavra “mono”, macaco, e sorrindo ao lado de outras pessoas que também riem.

Após assistir as imagens que circularam na internet, o armador brasileiro afirmou em um vídeo que “agora ele vai jogar ainda por mais pessoas que passam por isso e tem que lidar”, além de agradecer as mensagens de apoio e cobrar providências à organização do campeonato. “Isso não vai apagar meu brilho, minha alegria de entrar na quadra e fazer o que eu amo”, disse. O atleta de 23 anos atuava no Flamengo.

“Graças a Deus eu não ouvi na hora porque não sei qual seria a minha reação. Nunca havia passado por isso na minha vida. Nem no Brasil, nem em outros países onde já joguei. Então, não consigo entender o motivo disso. É revoltante e triste ver que isso acontece. É uma coisa recorrente no esporte no mundo de hoje. Portanto, estamos muito longe ainda da conscientização e de um entendimento de que não há espaço para esse tipo de atitude”, declarou o atleta.

Yago Mateus estava de costas para a racista no momento da agressão, mas as câmeras que estavam no ginásio registraram nitidamente o ataque. O clube do brasileiro declarou ter levado as imagens às autoridades competentes. O time ao qual torce a mulher e a acompanhante que sorri com as ofensas racistas, Joventut Badalona, disse rejeitar “veementemente qualquer comportamento […] ofensivo, racista e/ou xenófobo”.