O autor do crime fugiu do local do crime e segue sendo procurado pela polícia

Da Redação*

Imagem: Reprodução Instagram

Mais uma vítima de feminicídio no Brasil, Anna Caroline Valença, de 26 anos, morreu depois de ser espancada pelo marido, na cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo.  Durante o crime, a vítima tentou defender a filha e a irmã no quarto,  para que as duas não presenciassem as agressões.

A jovem mantinha o relacionamento com o homem há 12 anos, de acordo com o boletim de ocorrência, a mulher foi espancada no último dia 7 de março, com socos e chutes na região da barriga, tendo como consequência uma hemorragia interna. Anna Caroline foi socorrida pela irmã de 12 anos, que acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), a vítima permaneceu entubada até o dia 9 deste mês, mas não resistiu aos ferimentos.

A mãe da vítima, Priscila Valença Reis, de 41 anos, falou ao portal G1 que sobre o relacionamento abusivo que a filha sofria:

” Ele é muito articuloso e ela nunca teve outro homem. Menina do interior, cheia de sonhos. Ele pegava os cartões dela, prendia ela dentro de casa. Ela tentou se defender, mas ele bateu tanto nela que ela só conseguiu gritar para a irmã dela chamar o resgate. Ele deixou minha filha jogada no chão como se fosse nada”, declarou a mãe da vítima.

Desde o ano de 2019, Anna Caroline tinha uma medida protetiva contra o agressor. O caso está sob investigação pelo 4º Distrito Policial de São Paulo, o agressor que fugiu do local do crime, ainda não foi encontrado.

Juntos os estados de São Paulo, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e o Ceará, registraram 1975  casos de violência contra mulheres no ano de 2021,  deste total 409 casos são de feminicídio, de acordo com dados da Rede de Observatórios da Segurança através do  boletim “Elas Vivem: dados da violência contra mulheres”. O estudo indica que em 65% dos registros de feminicídio, são cometidos pelos companheiros das vítimas. De acordo com os dados do Observatório da Segurança, a cada cinco horas, um caso de violência contra a mulher é registrado nestes estados.

*Com informações do G1