A primeira-dama do Brasil promove o desconhecimento cultural e racismo religioso com a postagem

Por Daiane Oliveira

Imagem: Reprodução Redes Sociais

Em meio a disputa eleitoral, a primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro usa uma publicação para criticar o presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em um vídeo, Lula aparece recebendo banho de pipoca e saudações de religiosos de matriz africana em uma visita à Bahia. A postagem compartilhada pela esposa de Jair Bolsonaro (PL) traz um texto que associa as religiões de matrizes africanas com as “trevas”.

Em seu perfil oficial no Instagram, Michelle Bolsonaro escreveu “Isso pode né! Eu falar de Deus, não!”, no vídeo com vários trechos em que o presidenciável Lula é recebido por baianas e saudado com referências às religiões de matrizes africanas. A legenda da publicação no perfil da vereadora paulista Sonaira Fernandes (Republicanos) informa que “Lula já entregou sua alma para vencer a eleição. Não lutamos contra carne nem sangue, mas contra os principados e potestades das trevas”, uma referência bíblica.

A postagem ainda sugere que haveria interferência no estado laico pelo candidato Lula, o que não aconteceu em seus 8 anos enquanto presidente. “O cristão tem que ter a coragem de falar de política hoje, para não ser proibido de falar de Jesus amanhã”.

Janja Lula da Silva, socióloga e companheira do presidenciável Lula,  usou uma rede social para falar de respeito e união. “Eu aprendi que Deus é sinônimo de amor, compaixão e, sobretudo, de paz e de respeito. Não importa qual a religião e qual o credo. A minha vida e a do meu marido sempre foram e sempre serão pautadas por esses princípios”, escreveu.

No domingo (7) durante evento, Michelle Bolsonaro realizou um culto religioso ao lado do presidente Bolsonato em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. Durante a cerimônia, a primeira-dama afirmou que antes do governo Bolsonaro, o Planalto era “consagrado a demônios” em seu discurso.