Conselho Tutelar, Polícia Civil e Militar averiguam o fato

Por Karla Souza

Imagem: Reprodução Redes Sociais

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) tomou medidas para investigar o caso em que um policial militar pediu uma adolescente de 15 anos em casamento. Amplamente divulgada nas redes sociais nos últimos dias, a cena ocorreu na saída de uma escola pública de ensino fundamental na cidade de Toritama (PE).

As imagens do vídeo mostram o policial militar fardado fazendo uma surpresa à adolescente, ele carregava uma caixa com alianças e um buquê de flores. Eles trocaram anéis e se beijaram, enquanto colegas da menina e outros policiais militares que acompanhavam o policial ovacionaram o noivado. De acordo com a Lei 13.811/19, o casamento com menores de 16 anos é proibido no Brasil.

Como medidas, o MPPE solicitou à Polícia Militar do Estado que investigasse o policial militar envolvido, também expediu um ofício ao Conselho Tutelar e ao Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) para a elaboração de relatórios e acompanhamento do caso. Outra ação tomada foi a solicitação para que o Departamento de Polícia local realizasse uma investigação preliminar.

O policial militar envolvido, cuja identidade foi mantida em sigilo, está lotado no Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (BEPI). A Polícia Militar confirmou a autenticidade do vídeo e abriu um processo administrativo para apurar a conduta do agente.

Além disso, a Promotoria de Justiça de Toritama solicitou à Polícia Civil de Pernambuco que instaure uma investigação preliminar para identificar possíveis crimes relacionados.