O caso aconteceu no último domingo (15). De acordo com a vítima a agressão ocorreu no intervalo da partida, quando ela foi comprar uma bebida no bar do estádio

Da Redação

Imagem: Reprodução TV/BA

A torcedora Vanessa Fernandes, de 33 anos, denunciou que foi vítima de importunação sexual,  dentro de um bar durante uma partida entre o Vitória e o Guarani, no último domingo (15) no Estádio Manoel Barradas (Barradão), em Salvador(BA). A vítima relata que estava aguardando por uma bebida, quando um torcedor pegou a sua mão e colocou nas partes íntimas dele. O caso foi denunciado na 10ª Delegacia Territorial, do bairro de Pau da Lima.

Vanessa declarou que tentou buscar ajuda dos policiais que estavam no local, mas foi ignorada pelos agentes. “No momento que me voltei para outros torcedores também indignados com a situação, o torcedor se evadiu na multidão. Outros torcedores até tentaram segurar ele por um momento, até que a polícia chegasse, mas como a polícia foi embora, o torcedor conseguiu sair. Infelizmente eu não consegui que ele fosse identificado naquele momento”, disse a vítima à reportagem do Jornal Bahia Meio Dia.

O Esporte Clube Vitória (ECV),  se manifestou por nota, informando que a torcedora não oficializou a denúncia na ouvidoria do clube: “Precisamos que a torcedora-sócia oficialize a reclamação para que o clube possa tentar identificar a pessoa através do sistema de câmeras do estádio e da nossa segurança”, afirmou o clube.

O portal Arena Rubro-Negra, veículo de notícias feito por torcedores do clube, divulgou uma nota de repúdio, cobrando posicionamento e ação do clube.

“O Barradão deve ser um local seguro para todos torcerem pelo Vitória. É absurdo que uma torcedora seja assediada e nada tenha sido feito. Ao Esporte Clube Vitória, pedimos que ajudem na identificação  e campanha para conscientizar a torcida”, diz o portal.

A polícia militar se posicionou por nota, afirmando que as denúncias referentes a conduta dos policiais militares, a corporação disponibiliza os canais de comunicação institucionais para que possam registrar os relatos, a exemplo do 0800 284 0011 (telefone da Ouvidoria) e a Corregedoria da PM, localizada na Rua Amazonas, nº 13, Pituba.