Vacinação contra a Covid-19 será oferecida anualmente para crianças e grupos prioritários a partir de 2024

Além de crianças de seis meses a menores de cinco anos;  quilombolas, ribeirinhos e indígenas também integram grupo prioritário

Além de crianças de seis meses a menores de cinco anos;  quilombolas, ribeirinhos e indígenas também integram grupo prioritário

Por Elizabeth Souza

A vacinação contra a Covid-19 será realizada anualmente para crianças e grupos prioritários a partir de 2024. Com isso, essas vacinas passam a integrar o Calendário Nacional de Vacinação de crianças de seis meses a menores de cinco anos e grupos com maior risco de desenvolver sintomas graves do coronavírus. As informações foram divulgadas nesta terça-feira, 31, pelo Ministério da Saúde em coletiva de imprensa realizada em Brasília.

Para além das crianças, as pessoas consideradas do grupo prioritário de acordo com o Ministério da Saúde são: idosos, imunocomprometidos, gestantes e puérperas, trabalhadores da saúde, pessoas com comorbidades, pessoas vivendo em instituições de longa permanência e seus trabalhadores, pessoas com deficiência permanente, pessoas privadas de liberdade maiores de 18 anos, adolescentes e jovens cumprindo medidas socioeducativas, funcionários do sistema de privação de liberdade e pessoas em situação de rua. Também integram o grupo indígenas, ribeirinhos e quilombolas.

“No país a gente trabalha também com a população ribeirinha, indígenas (e quilombolas), temos muito mais pessoas pela condição que elas vivem, ou pelo afastamento, o acesso ao serviço da Saúde”, explicou durante a coletiva de imprensa a secretária de Vigilância e Ambiente em Saúde do Ministério da Saúde, Ethel Maciel. “(Elas) são consideradas populações vulnerabilizadas”, completou. A inclusão passou por avaliação da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (CTAI).

Ainda de acordo com Ethel a decisão referente aos grupos que serão imunizados anualmente foi tomada em consonância com a Organização Mundial da Saúde (OMS). “O foco no mundo inteiro é a diminuição da gravidade, de hospitalização, diminuição de óbito”, destacou. O restante da população será vacinado de acordo com a disponibilidade dos imunizantes. Portanto, a vacinação segue disponível a todas as pessoas de forma gratuita pelo SUS (Sistema Único de Saúde). 

De olho no futuro

De acordo com dados do painel Covid-19 no Brasil, o país soma 37.949.944 casos de Covid-19 e 706.808 óbitos atualmente. Em 2022, o Brasil registrou uma morte por dia de crianças de seis meses a cinco anos, as informações são do Observa Infância. Crianças negras e indígenas são as principais vítimas, apontou dados do  SIVEP Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe), do Ministério da Saúde.

“Ainda estamos aprendendo com essa doença, é uma doença nova por isso é muito importante proteger as nossas crianças. O vírus causa importantes mudanças no nosso organismo, nós não sabemos o efeito a longo prazo disso, então a gente precisa proteger nossas crianças para garantir qualidade de vida para elas no futuro”, concluiu ”, frisou Ethel Maciel, que também mencionou as ações que serão feitas nas escolas com o intuito de educar familiares e crianças para a importância da vacinação por meio do Programa Saúde na Escola. 

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *