O prefeito da cidade nega todas as denúncias e acusa a vereadora de  tentar se promover às custas de inverdades

Por Patrícia Rosa

Imagem: Reprodução Facebook

A vereadora Perla Conceição Santana (AVANTE),  de 40 anos,  eleita com  551 votos, é a única representante feminina, negra e de oposição da  Câmara Municipal de Muritiba (BA), município do Recôncavo da Bahia. Desde que passou a fazer denúncias contra a gestão do prefeito Danilo Marques (PSD), o Danilo de Babão, ela passou a sofrer perseguição política que culminou em um pedido de cassação. 

As denúncias são sobre contratação de funcionários fantasmas, mau uso do dinheiro público e a existência de licitações fraudadas. A lista de denunciados envolve a noiva do prefeito, Magna Passos, que estaria nomeada como nutricionista da cidade. Ao todo foram 31 denúncias, que de acordo com a parlamentar são comprovadas pelo Tribunal de Contas do Município (TCM).

O pedido de cassação foi impetrado por Evanildes Pereira da Paz, uma das denunciadas pela vereadora como sendo funcionária fantasma.  Os vereadores acataram no último dia 07 de fevereiro, por 10 votos a um. Na sessão, o presidente da Casa, Glauber Reis (PSDB), disse que: “No caso da vereadora Perla Conceição Santana, há toda evidência que o seu procedimento revela uma conduta criminosa. Absolutamente incompatível com o decoro parlamentar.”

Na sessão da última quarta-feira (08), uma briga generalizada se formou quando a fala da parlamentar foi interrompida pelo também vereador, Kel da Saúde (PSD). De acordo com a assessoria de Perla, o político teria insinuado que a vereadora é vítima de violência doméstica.

Eu me sinto indignada, eu estou sendo injustiçada,  se realmente essa cassação acontecer é a certeza da impunidade. Eu acho que eu vou deixar de acreditar em todos os meus valores.”, comenta indignada a vereadora.

A Revista Afirmativa conversou com a parlamentar, uma mulher negra, oriunda de uma família humilde da zona rural. Antes de entrar na vida política, Perla era técnica de enfermagem. Seu interesse pela política surgiu após o incômodo com a falta de crescimento da cidade.

“Eu não vou em momento algum debandar com a situação , pois não compactuo com a forma que o atual grupo dirige a cidade de Muritiba. A cidade tem que ser para todos e não só para os amigos do rei. Aqui eu vou usar a minha imunidade parlamentar, não vou me juntar com quem faz coisas erradas, não vou me juntar com quem está trabalhando para enriquecimento próprio, dito isso cada um sabe de si. Eu Perla  vou continuar em minha missão, fiscalizar o dinheiro e o serviço público” [Fala da vereadora do dia 30/11/22, durante uma sessão na câmara de vereadores de Muritiba].

Confira a entrevista completa:

Revista Afirmativa: Com quanto tempo de mandato a senhora decidiu ser mais atuante na fiscalização do dinheiro público?

Perla Santana: Com quase dois anos, eu comecei a ser mais combativa, basicamente no mês de novembro do ano passado. Eu sabia que os erros existiam, mas  estava buscando provas. Eu falava na Câmara e não tinha resultado nenhum.

R.A: Qual caminho encontrou para ser ouvida pela população e para chamar atenção para as irregularidades da gestão da cidade? 

P.S: Eu gritava socorro e ninguém me ouvia, foi quando eu optei pelas redes sociais. Lá eu ganhei voz, eu ganhei autoridade, às pessoas passaram a me ouvir e a expor suas indignações.  Muitas pessoas sabiam de muitas coisas, mas não tinham coragem de expor.

R.A: A senhora já manifestou estar sendo vítima de perseguição política. Como tem sido a relação com os colegas vereadores?

P.S: Eu acredito que criou aquele ciúme, a partir do momento que eu me encorajo. Eles aceitaram [o pedido de cassação] mais para me desgastar, para me calar mesmo. Mas, eu me sinto forte, eu preciso seguir representando as mulheres.

R.A: A senhora tem medo, já teve ou já recebeu ameaças por realizar as denúncias?

P.S: Eu já recebi indiretamente das pessoas que não gostam. Diziam que eu iria aparecer com a boca cheia de formiga. Eu passei a ficar mais atenta, evito sair sozinha, minha família está mais atenta. Eu afastei minha família, até pra que eu não tenha mais preocupação.

R.A: A senhora vem recebendo apoio do partido ou de alguma entidade, órgão? O Ministério Público já foi provocado? Existe algum retorno?

P.S: O Ministério Público eu já tive audiência. Mas, do partido eu não tive apoio nenhum, inclusive o presidente do meu partido é o suplente. Quando ele veio se manifestar, ele não quis se meter, não me defendeu de forma nenhuma. Eu estou tendo muito apoio de outras pessoas, mas do meu partido mesmo, nenhum.

O que diz o Prefeito de Muritiba

A assessoria do prefeito de Muritiba encaminhou nota ao Jornal Correio, acusando a vereadora de estar em busca de notoriedade  eleitoral em cima de inverdades.. 

“Justamente por isso é de conhecimento geral que 22, dos referidos servidores, levianamente acusados ​​de fantasmas, estão buscando indenização na justiça, pelos danos sofridos em razão desses oportunismos e inverdades cujo objetivo é obter notoriedade eleitoral”, diz  Danilo Marques.