Por Andressa Franco

Em outubro do ano passado, o humorista Eddy Jr. denunciou sua vizinha Elisabeth Morrone devido a ofensas racistas em uma confusão no condomínio onde moram, em São Paulo. Agora, a aposentada racista pede R$ 50 mil em danos morais na Justiça, pela 29ª Vara Cível de São Paulo, contra o condomínio.

Segundo informações do G1, Elisabeth argumenta que sofre há meses com a suposta omissão do condomínio com relação a barulho do apartamento do vizinho. A mulher alega que o estresse causou “severo prejuízo à sua saúde, dentre outros problemas”.

O advogado acrescenta no pedido que a confusão envolvendo o youtuber, na qual Elisabeth chegou a chamar o vizinho de “macaco”, causou duas multas a ela nos valores de R$ 1.646,13 e R$ 5.259,64.

Um atestado médico de dezembro de 2022 a aposentada foi diagnosticada com um misto de ansiedade e depressão e que faz tratamento no CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) desde outubro.

Relembre o caso

Em outubro, Eddy Jr. denunciou ter sido vítima de ataques racistas quando tentava utilizar o elevador do prédio com Elisabeth Morrone, e a mesma começou a xingá-lo de “macaco, imundo, feio, urubu e neguinho perigoso”, e se negou a subir no mesmo elevador.

Dias depois foram reveladas imagens da câmera de segurança do condomínio, que mostram um filho da aposentada com uma faca em frente à porta do apartamento do humorista. As imagens são de antes do caso do elevador, e aconteceram durante a madrugada. Em uma das ocasiões, o filho de Elizabeth aparece sozinho, em outra gravação, mãe e filho aparecem juntos, dessa vez com uma faca presa na bermuda do rapaz.

A Justiça determinou que a aposentada mantenha distância mínima de 300 metros de Eddy, mesmo através de terceiros, sob pena de prisão caso a medida protetiva seja violada. A determinação foi solicitada pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa de São Paulo (DHPP). Além da medida, o condomínio aplicou multa de cerca de R$ 8 mil à Elisabeth. Ela está sendo investigada na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi).

O caso voltou à tona em dezembro do ano passado, quando o influenciador encontrou os dois investigados pela primeira vez desde que expôs o caso e agrediu o filho de Elizabeth. Ele mesmo filmou e publicou o vídeo, onde afirma ter reagido à impunidade da dupla.