O humorista foi chamado de “macaco”, e recebeu mensagens desejando que deveria “morrer como Marielle Franco”. No próximo domingo, o artista vai apresentar o “Festival do Futuro”, que celebra a posse do presidente Lula

Por Andressa Franco

Imagem: Globo/ Ju Coutinho

Na noite da última quarta-feira (28), o ator e humorista Paulo Vieira, de 30 anos, denunciou através das suas redes sociais ataques racistas e ameaças que recebeu devido às piadas relacionadas a bolsonaristas que fez durante a premiação “Melhores do Ano” do programa “Domingão com Huck”, da TV Globo.

Em seu perfil no Twitter, o artista compartilhou prints expondo os perfis das pessoas que enviaram emojis de macacos e xingamentos racistas, como: “macaco”, “bicha preta”, e até desejando que deveria “morrer como Marielle Franco“, vereadora do Rio de Janeiro que foi assassinada em 2018.

“São centenas de comentários assim. Fora as ligações pra mim, pra minha equipe, minha família”, escreveu Vieira no post, pedindo ainda para que printassem os “casos mais absurdos” para ele. “O que eu tenho é advogado”, finalizou.

Na sequência, o humorista recebeu mensagens de apoio de fãs e de outros artistas, como as cantoras Maria Rita e Daniela Mercury, o comunicador Rick Trindade, a palestrante e escritora Veronica Oliveira, entre outros.

“Sinta meu abraço, meu amigo. A nossa alegria e amor é muito maior que o ódio e o preconceito dessa minoria fascista”, escreveu a futura primeira-dama Janja Lula da Silva.

“Minha gente, um monte de racista escroto resolveu atacar o Paulo Vieira de forma orquestrada. Vamos encher a timeline dele de coisa boa pra esses imbecis serem soterrados? Quem começa?”, publicou o também comediante Fábio Porchat.

Em resposta, Paulo afirmou que está bem, e que os ataques são uma “reação ao poder incontestável do humor. Tô forte e cada vez mais certo do meu papel”.

Entre as piadas feitas pelo ator no programa, onde ele também concorria na categoria de Humor ao troféu Paulo Gustavo. Paulo ironizou as manifestações antidemocráticas em frente aos quartéis, que questionam o resultado das eleições.

“É claro que a extrema direita fascista não aceita piadas, eles não aceitam nem o resultado das eleições”, twittou Vieira ainda na última terça-feira (27).

Fez piada também com o personagem Velho do Rio, da novela Pantanal. “Chorei quando o Velho do Rio morreu. Eu fiquei revoltado. Que Deus é esse que leva o Velho do Rio e deixa o ‘Veio’ da Havan?”, brincou fazendo referência ao empresário bolsonarista Luciano Hang.

Além dos ataques, diversos perfis bolsonaristas têm marcado a Pizza Hut no Twitter pedindo boicote à empresa, que em fevereiro anunciou Paulo Vieira como embaixador da marca no país.

Antes de perder o troféu Paulo Gustavo para a apresentadora e humorista Tatá Werneck, Paulo brincou que não aceitaria o resultado caso perdesse, também em referência aos apoiadores do presidente Bolsonaro que seguem acampados em quartéis pelo país, em uma tentativa golpista de impedir a posse do presidente eleito, Lula (PT).

“Se eu não ganhar, eu não vou aceitar a derrota. Não vou, meu bem. Eu vou pedir voto impresso, eu derrubar os carrinhos da Globo, eu vou botar fogo no carrinho. Eu vou na porta do quartel para pedir a volta do Faustão… Eu vou ficar aqui plantado. Não me dê esse prêmio para você ver”, disparou, arrancando risos da plateia.

Ele ainda fez uma piada com a também atriz da Rede Globo Cássia Kiss, que esteve presente em diversas manifestações bolsonaristas. Mas, a piada foi cortada na versão final do programa.

No próximo domingo (1), o artista vai apresentar o “Festival do Futuro” ao lado da apresentadora Titi Muller. O evento marca a posse presidencial de Lula, terá palcos nomeados como Elza Soares e Gal Costa, e apresentação de diversos artistas como a futura ministra da cultura Margareth Menezes, Pabllo Vittar, Gaby Amarantos, Luedji Luna, entre outros.