Por Mariana Gomes

Na tarde desta quinta-feira (11) aconteceu no Centro de Estudos e Ação Social (CEAS) a atividade Bibliotecas Vivas: O tecer das Yabás, Lélias e Carolinas na leitura Afro-brasileira, organizada em parceria com o Grupo de Mulheres do Alto das Pombas (GRUMAP) e o CEAS. O evento contou com a participação de Rodrigo Calabar e Hugo Gabriel das bibliotecas comunitárias do Calabar e Zeferina-Beiru.

Para Luciana Silveira, integrante do GRUMAP, a importância desse evento está no teor formativo sobre a cultura afro-brasileira pras crianças e jovens do Altos das Pombas, assim como professores e famílias da comunidade e das redondezas. “Estamos com um processo de formação e fortalecimento da lei 10639/03. Através da contação de histórias pretendemos aproximar não apenas as crianças, mas também suas mães. No nosso acervo contamos não apenas com livros infantis e infanto-juvenis, mas também com leituras de escritoras como Lélia Gonzalez e Carolina de Jesus”.

Para Nélia Nascimento, professora de História e integrante do Núcleo de Memória do CEAS, o evento marca a abertura da biblioteca Cláudio Perani. ” Esse é o último evento de três de reabertura da nossa biblioteca. Convido a todos para conhecer e se apropriar desse lugar, estudar e construir juntos novos espaços e leituras”, explicou na abertura da atividade. Com a casa cheia, cerca de 50 pessoas, entre crianças e adultos, o evento ainda contou com a participação da artista Vera Lopes com uma discussões sobre as duas mulheres referências no nome da atividade.

O GRUMAP ainda faz mais outras três atividades no calendário do @julho_das_pretas em Salvador (BA). Confira na página da ação e aqui na revista os próximos eventos!