Vereadora que criou lei contra a lesbofobia em Natal (RN) recebe ameaça de “estupro corretivo”

Brisa Bracchi, do PT, solicitou ao ministro Flávio Dino que o caso também seja investigado pela Polícia Federal

 

Brisa Bracchi, do PT, solicitou ao ministro Flávio Dino que o caso também seja investigado pela Polícia Federal

Por Elizabeth Souza

Imagem: Ascom Brisa Bracchi

Mais uma vítima de ameaças de “estupro corretivo”, a vereadora Brisa Bracchi (PT-RN), de Natal, recebeu em seu email institucional uma mensagem criminosa com o título: “O estupro cura lésbicas (e bissexuais) e eu posso provar”. Nas redes sociais a parlamentar afirmou que “apesar de tudo, não irão nos paralisar!” e que todas as medidas possíveis para identificar o culpado estão sendo tomadas. Bracchi é a autora da lei sancionada em julho de 2023 que cria a “Semana Municipal contra a Lesbofobia”, em Natal.

Detalhando como seria a realização do crime nefasto, o autor da ameaça, que se identifica enquanto pesquisador e doutor em Psicologia Social, classifica o delito como “estupro corretivo terapêutico” que teria o poder de cura, já que para ele ser “sapatão é ser uma aberração”. No texto o criminoso ainda informa que teria uma proposta de lei para legalizar a prática criminosa e sua realização pelo SUS (Sistema Único de Saúde). 

De agosto até aqui, tem crescido o número de parlamentares mulheres LBTs e aliadas à luta LGBTQIA+  que recebem ameaças de estupro corretivo pelo Brasil. A deputada federal Daiana Santos (PCdoB-RS), as deputadas estaduais Rosa Amorim (PT-PE), Bella Gonçalves (PSOL-MG) e Lohanna França (PV-MG), são algumas delas. 

“Outras mulheres, feministas e LGBTs receberam ameaças semelhantes, mas isso não invalida a dor individual de cada uma”, disse a vereadora  Brisa Bracchi, que publicou a íntegra das ameaças nas redes sociais. Ao longo do texto o autor afirma ter o endereço da petista e se oferece para ir à sua casa “testar o experimento”.

“Confesso que fiquei assustada e, por isso, tomarei todas as medidas possíveis, tanto procurando os órgãos de segurança local, como os nacionais, para que os responsáveis por esse tipo de ação sejam devidamente punidos”, afirmou a vereadora em sua rede.

Em agenda realizada em Natal, no dia 12 de outubro, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, recebeu das mãos da vereadora um ofício com o relato da ameaça e disse que o caso de Brisa Bracchi será adicionado ao inquérito da Polícia Federal que investiga casos semelhantes enfrentados por outras parlamentares. A Polícia Civil também investiga o crime.

Em solidariedade à vereadora, a Secretaria Nacional de Mulheres do PT emitiu uma nota pedindo o fim da LGBTfobia e da violência política de gênero. “As mulheres petistas estarão ao seu lado na luta contra mais essa violência”, informou a Secretaria. 

Lei contra a lesbofobia

Brisa Bracchi é autora de lei aprovada em julho de 2023 no município de Natal que cria a Semana Municipal Contra a Lesbofobia, passando a compor o calendário oficial da cidade. “Para a gente conseguir acabar com a realidade dura do lesbocídio e da lesbofobia é preciso que a sociedade assuma esse enfrentamento. E essa lei visa exatamente a promoção de campanhas, atividades e ações públicas para que possamos construir uma cultura de não violência contra as mulheres lésbicas de Natal e de todas as partes”, disse Brisa, à época, em entrevista ao Mídia Ninja. 

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *