Além dos insultos racistas o  jogador brasileiro ainda levou um mata leão de um dos jogadores e foi expulso da partida

Por Daiane Oliveira e Patrícia Rosa

O jogador brasileiro Vinícius Júnior foi mais uma vez vítima de racismo durante uma partida de futebol. Desta vez foi no jogo entre o Real Madrid e o Valencia, neste domingo (21), na Espanha. Torcedores do Valencia proferiram insultos racistas e chamaram o atleta de “mono” (macaco em espanhol).

O jogo chegou a ser interrompido, a partida retornou e mais uma confusão iniciou. Vini Jr sofreu um golpe mata leão por parte do Hugo Duro, ao reagir ao ataque o atacante acertou o rosto de um dos do adversários e após a apuração do VAR, o jogador do brasileiro foi expulso da partida.

Através de sua rede social Vini Jr. se manifestou lembrando que o racismo é considerado “normal” na liga espanhola, afinal são inúmeros episódios sem que haja punição. “Não foi a primeira vez, nem a segunda e nem a terceira. O racismo é o normal na La Liga. A competição acha normal, a Federação também e os adversários incentivam. Lamento muito”, escreveu o atleta.

O jogador ainda lembrou de lendas do futebol mundial que atuaram na Espanha. “O campeonato que já foi de Ronaldinho, Ronaldo, Cristiano e Messi hoje é dos racistas. Uma nação linda, que me acolheu e que amo, mas que aceitou exportar a imagem para o mundo de um país racista. Lamento pelos espanhóis que não concordam, mas hoje, no Brasil, a Espanha é conhecida como um país de racistas. E, infelizmente, por tudo o que acontece a cada semana, não tenho como defender. Eu concordo. Mas eu sou forte e vou até o fim contra os racistas. Mesmo que longe daqui”, desabafou.

O clube espanhol pelo qual Vinícius Júnior joga, o Real Madrid, se posicionou sobre os ataques sofridos pelo atacante nesta segunda-feira (22) e denunciou o crime.

“O Real Madrid considera que tais ataques também constituem um crime de ódio, razão pela qual apresentou a denúncia correspondente à Procuradoria-Geral do Estado, especificamente à Procuradoria contra crimes de ódio e discriminação, para que os fatos sejam investigados e apuradas as responsabilidades”, declarou o clube.

Apesar da posição mais firme neste caso, o clube demorou a agir mesmo com casos recorrentes de racismo que o jogador tem sofrido nos jogos do país.

Em setembro de 2022, Vini Jr. foi vítima de racismo quando o empresário espanhol,  Pedro Bravo, disse que o jogador deveria parar de “macacquices”. Após, o atleta ainda foi ameaçado por integrantes do programa “El Chiringuito”, que tentaram impedir a publicação de respostas ao racismo sofrido pelo empresário em uma edição desse programa. O atleta teria ouvido que “se publicar o vídeo, vamos te destruir”, por parte de pessoas ligadas ao El Chiringuito.

Em janeiro deste ano, um boneco, com a camisa de Vincius Jr., foi pendurado pelo pescoço em uma ponte de Madrid, simulando enforcamento.

Presidente da LaLiga não gosta das críticas feitas por Vini Jr.

O presidente da LaLiga, Javier Tebas Medrano, utilizou as redes sociais para responder ao atleta também no domingo (21). O dirigente não gostou de Vini Jr. ter voltado a criticar a impunidade e cobrado providências da competição. Em uma rede social, Medrano disse que tentou explicar para o atleta as atribuições da entidade, mas ele não apareceu em nenhuma das duas datas combinadas.

“Já aqueles que não deveriam explicar para você o que é e o que pode fazer LaLiga em casos de racismo, tentamos explicar para você, mas você não apareceu em nenhuma das duas datas combinadas que você mesmo solicitou. Antes de criticar e insultar a LaLiga, é preciso que você se informe bem, Vini Jr. Não se deixe manipular e certifique-se de compreender plenamente as competências de cada um e o trabalho que temos feito juntos”, escreveu Javier Tebas Medrano.

Vini Jr. respondeu ao Javier Tebas Medrano exigindo ações e punição. “Mais uma vez, em vez de criticar racistas, o presidente da LaLiga aparece nas redes sociais para me atacar. Por mais que você fale e finja não ler, a imagem do seu campeonato está abalada. Veja as respostas do seus posts e tenha uma surpresa… Omitir-se só faz com que você se iguale à racistas. Não sou seu amigo para conversar sobre racismo. Quero ações e punições. Hashtag não me comove”, escreveu o atleta.

com uma faixa escrita “Madrid odeia o Real”, lema da torcida organizada do Atlético de Madrid sinalizada sobre a autoria do crime.